terça-feira, junho 21, 2011

BOM DIA, FIZ UMA BOA VIAGEM PELO SEU BLOG. AS NOTÍCIAS, A ESTÉTICA, AS CORES, O VERDE DE FUNDO, TUDO MARAVILHOSO. PARABÉNS Lúcia Helena Pereira poemar704@hotmail.com www.outraseoutras.blogspot.com


Por LÚCIA HELENA
Natal teu nome é cheio de glórias,


Sempre vives na memória deste grande Brasil;

Orgulho-me quando falo sempre assim,

D vale do ceará – mirim,

Dos verdes canaviais;



Venha conhecer a nossa cidade,

A maior igreja do estado

A casa do barão;

A usina são Francisco;

O engenho união;

O túmulo da linda Emma;

A fazenda nascença.



O banho das escravas,

A casa grande do Guaporé;

O olheiro diamante;

O engenho verde nasce;

A fazenda igarapé;

Os quilombolas em coqueiros;

Capela, matas, mineiros,

E os artistas do lugar;

Walter luz, Santana, vilela,

Sayonara, Euds e Edgar;

Raquel Juliana, Tobias,

Crésio, Franklin e Wilsinho;

Arnaldo e Cleopatrá.

Nome difícil de pronunciar

Múcio Vicente que não urge,

Apenas sente que Ta na hora de encerrar;

peço desculpas aos demais artistas;

Por seus nomes não citar

Não é falta de interesse

É o tempo que não dá;

Pois já está me dando fome

Preciso me alimentar

Com o grude de coqueiros,

A tilápia de mineiros;

O camarão de Viveiros,

Para agente degustar;

Caldo de cana,

Picado fresquinho,

Tapioca com camarão

E depois de uma qualhada

Vou tomar uma gelada

Lá em Zé do Recantão,

Buchada, peixe frito,

Carne assada do Zé Dantas,

O lanche de dona santa

E os carinhos da vovó;

E nos finais de semana

Depois de tomar uma de cana

Vou pra Zé do Mocotó;



É... Eu sou da qui,

Vivo sempre contente;

Sou Múcio Vicente,

Filho de Parú

E sempre que tenho grana

Banho-me toda semana

Em porto mirim, jacumã e Muriú.

É... Essa terra é linda

Por gosto se pode ver

Está é minha cidade

Eu te convido a conhecer

Isso que estou te dizendo

Não é papo furado nem tão pouco zum... zum... zum

Aqui só não tnha Teatro,

Mas a Peixoto falou que já comprou um!

Múcio Vicente
 
Comentários do nobre ator, Crésio Torres:
 
“É muito melhor arriscar coisas grandiosas (na tentativa de alcançar) alcançando triunfo e glória, mesmo expondo-se à derrota, do que formar fila com os pobres de espírito, que nem goza muito, nem sofre muito, porque vivem nessa penumbra cinzenta, que não conhece vitória nem derrota”. Franklin D. Roosevelt Parabéns! Continue arriscando coisas grandiosas, e não dê bandeira aliada aos exterminadores do entusiasmo humano.


Eu canto a minha aldeia E o meu canto é tão profundo Que numa grande cantilena Eu encantarei o mundo Na mesma pauta, harmonia Erudita e popular Canto da Boca da Mata Boca da Mata cantar
                                                                                                                    Crésio Torres